♥ Mudando de novo!
Domingo , 03 de Maio de 2009 , às 00h31 por Mayã |


MUDEI!!!

Agora é:

xForever.wordpress.com

 

...um recomeço :)








♥ Crônica II - Mais uma de Tom e Mili
Domingo , 19 de Abril de 2009 , às 17h15 por Mayã |


"Me lembro como se fosse ontem. Talvez seja um tanto estranho, lembrar-me de um de nossos primeiros dias juntos, depois de tantos anos.

Eu e ela estávamos indo pra minha casa, depois da aula, no nosso terceiro e último ano de escola.

Chovia muito aquele dia e Mili reclamava, como de costume, do cabelo:

- Argh! Como eu odeio quando chove demais! Sinceramente, como você consegue olhar pra mim sem se assustar, Tom?

Eu ri. Beijei sua bochecha e disse que achava graça quando ela fazia isso. Repeti também que adorava seus cachinhos. Então ela me olhou com aqueles olhos profundos e parou na rua, sorrindo timidamente.

Até hoje não sei explicar, mas sempre que percebo a profundidade daqueles olhos me encarando, é como se um impulso tomasse conta e quando reparo, estou beijando-a apaixonadamente.

Fomos de mãos dadas até em casa, enquanto ríamos de coisas estúpidas, enquanto discutíamos sobre minhas teorias que, na opinião dela, sempre são absurdas.

Entrei em casa e pedi pra ela ficar no sofá e que ligasse a TV. Fui até meu quarto, peguei um edredom e quando voltei lá estava ela, toda boba, sem saber o que fazer com sua bolsa colorida e procurando, meio perdida, o controle remoto.

- A minha mãe não tá em casa hoje, Mili.

- Ui! O que eu deveria pensar de uma declaração dessas, hein?

Eu ri. Essa era outra coisa que Mili fazia comigo: me deixava sem graça com seus comentários de duplo sentido.

- Você tinha que parar de levar as coisas pra esse lado, sabia? - retruquei, rindo enquanto fazia ela sentar e procurava o controle.

- Sem ofender, Tom, mas eu acho que prefiro. Acho sua mãe e seu pai pessoas ótimas. Mas eu fico tão sem graça na presença deles...

- Eu sei. Dá pra perceber. Mas não liga não, eles gostam de você, tá?

Ela sorriu. Sentei-me ao lado dela no sofá e fiquei procurando um programa satisfatório. Ela estendeu o edredom sobre nós e aconchegou-se em meu peito, enquanto eu passava meu braço em seu ombro.

Logo ela adormeceu com a televisão baixinha e o barulho da chuva na janela. Mili era tão doce dormindo que percebi estar mais entretido assistindo ela do que ao filme que tinha escolhido. Mas resolvi olhar pra TV, ou iria acabar pegando no sono também.

No final do filme, ela começou a se mexer. Olhei-a e reparei em sua expressão tensa. Passei minha mão em seu rosto para tentar acordá-la da forma mais suave possível, pra não se assustar.

Quando Mili abriu os olhos, ela mirou-me com aflição e começou a chorar, enterrando o seu rosto em meu peito.

- O que aconteceu, Mi? Foi um sonho? Calma, não era nada...

Soluçando um pouco ainda, ela sussurrou:

- Foi... foi... foi horrível, Tom. Você tinha ido embora e...

- Shh... pronto, já passou... não foi nada. - interrompi suas palavras enquanto esfregava seu braço, tentando acalmá-la.

Mili ficou em silêncio. Enxuguei suas lágrimas carinhosamente e beijei sua testa. Ela me olhou, novamente, com aqueles olhos, tentando esboçar um sorriso que pudesse me convencer.

E foi naquele dia, naquele instante, que eu finalmente percebi. Acho que é por isso que lembro perfeitamente desse dia. Foi a primeira vez que senti que Mili parecia estar em minhas mãos. Não ouso me gabar disso, na verdade é mais comum que EU me sinta em suas mãos.

Mas o que senti, naquela hora, foi novo e inexplicável, ao mesmo tempo. As vezes eu via que ela fingia ser mais forte e mais capaz de suportar um grande peso nas costas, só pra que eu não tivesse que me preocupar com ela. No fundo, eu sempre soube que era o contrário: ela era, é e será até o final de meus dias, o meu apoio. Sou eu que perco o chão sem ela, sou eu que me sinto perdido quando não sinto sua presença.

Eu senti, em um instante, o que eu não havia assimilado naqueles três anos anteriores. Foi naquele dia que disse, pela primeira vez, a coisa mais eterna e verdadeira que já senti na vida. Pareceu-me tão difícil de dizer, e ainda assim tão necessário... Então tomei fôlego, coloque minhas mãos nas dela e sussurrei, bem baixinho, em seu ouvido:

- Eu te amo."

 

Escrevi essa crônica em março, nas minhas horas de ócio do técnico :D Fiquei de postá-la aqui faz tempo, mas só agora passei da folha de caderno pra cá. Acho que seguiu o mesmo estilo da outra, pelo menos no final. Sinceramente, foi uma primeira e última experiencia, narrar como o Tom. É extremamente difícil descrever numa voz masculina, fiquei morrendo de medo que ele acabasse ficando meio gay o.o' Ainda escrevi mais outras duas crônicas, mas agora que eu reli essa com um pouco mais de crítica, passei a achar as outras duas bobas, como se fossem continuações obrigatórias. Talvez eu as escreva aqui, mas não acho que possam ser arquivadas como continuações decentes. Haha, eu nem sou exigente... Modesta, claro que sou ¬¬'

nada mais, nada menos... exceto os trilhões de comentários pra responder ;P  bjuxx pra vcs!








♥ Sorria então! :D
Quinta-feira , 09 de Abril de 2009 , às 14h46 por Mayã |


Vim aqui rapidinho pra postar um meme que a Rute me passou:

Regras:
1. Dizer 7 coisas que te fazem sorrir
2. Passar o meme a 7 pessoas que te façam sorrir


Meme:
1. Ouvir Jota Quest
2. As aulas com o meu professor de matemática ;P
3. Meus amigos reunidos
4. Deitar na grama ! !
5. Estar com quem amo demais ^^'
6. Cozinhar, com certeza!
7. Comer chocolate ;d


Passo o meme para: Anna, Mih, Lissa, RoHh, Dafne, Deby e Natz.

 

Hoje eu fui pra uma excursão da escola e a gente visitou a Estação Ciência da USP. Divertidinho,na verdade. Eu senti um tremor de 5.0 na escala Richter {mtoooo legal *--*}, fui visitar uns vagões onde eles simularam a vegetação presente no país e tb brinquei com as minhas amigas nos espelhos que nos contorciam xD E pra não ficar curtinho demais o post, vai aí um textinho fofuxo que eu escrevi semana passada quando ouvi pela primeira vez Wondering, do Good Charlotte. Linda a música, recomendo viu :D

 

"Um dia vou te roubar pra mim. E quando eu tiver certeza que vc me deu de verdade o seu coração, eu vou esconde-lo bem longe junto ao meu, pra que fiquem sempre juntos.
E nesse dia ensolarado, quando eu perceber que vc espera que o dia seja como outro qualquer, eu vou mandar você fechar os olhos, segurar minhas mãos com força e deixar que eu te guie. Vou roubar você das pessoas, da sua rotina. Vai ser só eu e você numa cidade inteirinha cheia de coisas pra gente descobrir. A gente vai cantar alto aquelas músicas cheias de guitarras que adoramos e dançar até cansar.
Quero pedir pra você ficar quietinho ouvindo o barulho dos pássaros e qndo estiver bem distraído, vou te pegar de surpresa e te beijar. A gente vai jogar boliche, baralho, brincar de descobrir desenho em nuvens, vamos.... fazer absolutamente nada. Quero que nesse dia, você perceba que fui eu que te roubei, mas é você que me possui. A gente vai ser criança e gente grande, vai brincar e beijar, vai ser feliz.

E no final do dia, qndo estiver na hora de te dizer tchau, vou sussurrar no seu ouvido:
- Eu te amo. Mas agora eu preciso que você me sequestre de verdade e não me deixe voltar ao mundo nunca mais."

 

bjuxx e boa páscoa! mto chocolate pra vcs ;D








♥ ...voltando, finalmente!
Sexta-feira , 03 de Abril de 2009 , às 22h59 por Mayã |


"Nada do que ela sentia parecia mudar. Talvez um pouco gasto, sem todo o encanto do inicio, mas estava lá. Mais forte, resistente e sólido do que ela pretendia. De qualquer forma, Mili sempre iria acreditar. eles dois terminariam juntos, depois de todas as desventuras.

Porque era com ele que ela se sentia bem. Ela sentia que ele a queria bem, alegrava-se com seu sucesso e parecia importar-se com suas angústias. Se preocupava, sorria, parecia estar sempre lá. Mili aceitava Tom do jeito que ele era: crianção, bobo e idiota. E ao mesmo tempo doce, quentinho, confortável. Mas nada disso se comparava a coisa que mais fez ela se apaixonar. Mili enfrentaria céus e terras para ter o que fazia dele perfeito pra ela: seu bom coração. Tão puro e livre de maldade, tão juvenil e alegre quanto ela poderia imaginar. Era aquela coisa pulsante que ela amava, porque ela também gostava do que ela era ao lado dele. Mili finalmente conseguia ser ela mesma com ele.

Era isso então. O ser vermelho-vivo pulsante de Tom, tão puro e perfeito, que a fez se apaixonar. Ele poderia ter todos os defeitos do mundo... mas era alguém que sempre valeria a pena, a gente sempre sabia que ele era bom de verdade. Porque aquilo transbordava no brilho de seus olhos e transparecia nos sorrisos que ela testemunhava. É... a Mili estava apaixonada."




Depois de dois meses, eu volto xP hauhauahuauauh, queria morrer por não ter postado mas oks. Senti tanta falta de vcs e de escrever... vcs não fazem nem ideia!

Assim que as aulas começaram, eu percebi não ter mais tempo nem pra pintar as unhas! (agora eu pinto elas, com mto sufoco, no domingo a noite antes de dormir) O técnico de Nutrição me deixou realmente atarefada e mto, mas mtooo cansada. Gente, eu passo nada mais nada menos do que 12 horas contínuas na escola. Pelamordedeus, quem aguentaa?
Essa semana é que acabaram todas as formas de avaliação possíveis nos meus dois períodos (ensino médio + tecnico), ainda bem. Fiquei com B em quase todas as materias do Ensino Médio (exceto por um MB cheio de complicações em química) e tirei MB em todas as minhas provas do técnico.


Tudo bem, fico fora por décadas e qndo volto tenho ISSO pra contar pra vcs, que dó ¬¬' De qualquer forma, acho que não poderia esconder de vcs uma coisinha que me incomoda desde q eu comecei o ano letivo: eu não gostei mto do técnico o.o'
Quer dizer, eu sou uma das alunas com as notas mais altas, mas eu acho o curso mto massante e sem graça, na verdade. Exceto qndo a gente vai ter aulas práticas na cozinha, mas oks. É que a tarde é mtooo desanimado e eu nem tenho mto pique. Já perdi as contas de quantas vezes dormi na aula da Silviane (e essa semana eu fui pega xP ) e consegui entender a materia de qualquer forma, pq ela fala mais que 50 mulheres juntas fofocando (sério, é mto mesmo).

Com exceção do fato d'eu achar o tecnico meio sem graça, até que a vida tá indo. Tudo bem q é da casa pra escola, da escola pra casa, mas é divertido qndo estou com meus amigos e fazemos, falamos e rimos sobre porcarias. Além disso, nas minhas horas vagas eu ando escrevendo: resolvi levar a diante a historia dos dois personagens da 'Crônica I', Tom e Mili, e já tenho mais duas crônicas avulsas prontas, mto fofuxas, por sinal :D Meu amigo disse que eu deveria escrever um livro enquanto fico cozinhando naqueles panelões de macarrão, mas eu ainda prefiro só cozinhar. Além das cronicas, eu e meu amigo Gilberto escrevemos uma música mto, mto, mtoooo linda *-* ( e eu nem sou a modesta não neah xP)

Ah... eu não tenho mais oq contar o.o' As novidades parecem-me superfulas agora e mto bobas tb. Prometo voltar mais vezes e tentar responder rapidamente aos comentários acumulados. Ouçam a música do Plain White T's aí, ela é a coisa mais linda desse mundão *---*

bjuxx pra vcs!